Estudantes de Londrina são campeões nacionais do projeto “F1 in Schools” - TV Tudo
Início » Estudantes de Londrina são campeões nacionais do projeto “F1 in Schools”

Estudantes de Londrina são campeões nacionais do projeto “F1 in Schools”

Nesta sexta-feira (6), o prefeito Marcelo Belinati entregou os troféus aos seis alunos do Colégio Universitário que, agora, se preparam para o Mundial do programa

por TV Tudo

O prefeito Marcelo Belinati recebeu em seu gabinete, nesta sexta-feira (6), alunos de Londrina classificados para a etapa internacional do projeto “F1 in Schools”. Os estudantes do Colégio Universitário disputaram com outras seis equipes e venceram a etapa nacional do programa educacional, que no Brasil é realizado desde 2014 pela Associação Projetando o Futuro. Agora, se preparam para a grande final mundial do “F1 in Schools”, que vai reunir estudantes de 51 países em uma edição do Grande Prêmio da Fórmula 1 no próximo ano.

Foto: Emerson Dias/NCom

Criado na Inglaterra no ano 2000, o “F1 in Schools”, organizado pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA), tem como objetivo estimular os estudantes ao aprendizado de ciências exatas utilizando a metodologia STEAM que, em inglês, é um acrônimo das disciplinas Ciências, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática.

Durante o programa, os alunos formam uma empresa e são responsáveis por coordenar todas as etapas necessárias para criar um protótipo de carro da Fórmula 1. Isso envolve as áreas de gerenciamento, marketing, design, engenharia, captação de patrocínio, entre outras.

A equipe Atlantis é formada por seis alunos do Colégio Universitário – Davi Iranaga, Isadora Miculis, Lia Marques, Rafael Obici, Marina Egger, Giovanni Prado. Juntos, conquistaram o prêmio de Campeão Nacional, além de primeiro lugar nas modalidades Melhor Estande, Melhor Engenharia, Melhor Apresentação Verbal (em inglês), Melhor Gestão de Projeto, Melhor Marketing e Patrocínio, e Carro mais rápido. O protótipo elaborado pelos estudantes percorreu uma pista de 20 metros, construída por eles mesmos, em 1,314 segundo.

Foto: Emerson Dias/NCom

Os troféus de cada categoria foram entregues aos integrantes da equipe pelo prefeito Marcelo Belinati. Na ocasião, o prefeito parabenizou os alunos, seus pais e professores pela conquista. “É uma coisa muito fantástica, eles servem de inspiração a outros jovens. Eu, como pai, sei a alegria que esses pais estão passando. Com tantas coisas ruins no mundo que outros jovens estão expostos, ver esses meninos de 16 anos estudando, vencendo um concurso e indo disputar um campeonato dentro de um evento mundial, sendo que eles mesmos descobriram o concurso, decidiram participar e criaram as condições para isso. Isso nos enche de orgulho, estão de parabéns”, frisou.

Foto: Emerson Dias/NCom

O estudante Davi Iranaga, líder da equipe e engenheiro chefe, contou que descobriu o “F1 in Schools” pela rede social Tik Tok, assistindo o vídeo de uma equipe brasileira de Santa Catarina, que também participou do projeto. Com apoio e incentivo dos professores e pais, foi montada a equipe Atlantis, que se sagrou como a primeira campeã do Paraná no projeto.

Agora, os preparativos recomeçam para a fase mundial, que terá 55 equipes de 51 países. “Acredito que foi uma experiência renovadora. Aprendemos coisas que só esse projeto poderia nos trazer, pegar o troféu nas mãos foi uma sensação indescritível. E, acredito que falo em nome de toda equipe, por toda felicidade e tudo que passamos juntos, valeu a pena. Agora, na etapa internacional, vamos rever os erros e ver onde é preciso melhorar. Vamos criar um novo protótipo e elevar o nível para as outras equipes, que virão muito fortes, mas queremos bater de frente com eles”, destacou o líder da Equipe Atlantis.

Foto: Emerson Dias/NCom

Para a coordenadora do Ensino Médio do Colégio Universitário, Rosa Maria Cardoso, a conquista dos estudantes mostra a capacidade dos jovens de crescimento, desenvolvimento e aplicação do conteúdo escolar na vida prática. “Essa conquista é muito gratificante para nós. O que a gente realmente busca é que esse conhecimento se torne cada vez mais visível e prático na resolução de problemas, enfrentamento de desafios, capacidade criativa. E eles têm muita vivacidade, energia e vontade de crescer, pesquisar e realizar. Mais do que a parte da engenharia, esse projeto desenvolveu diferentes habilidades e deu a possibilidade de ampliar essa visão, percebendo que as áreas se integram, e isso também foi muito importante”, complementou.

Familiares dos jovens estiveram presentes na reunião com o prefeito Marcelo Belinati.

Relacionado